Eu não saio com prostitutas chatas

Eu sou um cara bem risonho, dou risada de pouca coisa e com pouca coisa. Me divirto com banalidades. Considero rir uma coisa extremamente importante. Principalmente quando saímos com uma garota, rimos para quebrar o gelo, mostrar que somos bem humorados e divertidos. Mas, mulheres, eu odeio dar más notícias, rimos das suas histórias no começo para levá-las para a cama. Suas histórias são um saco.

Veja bem, não estou generalizando, existe a possibilidade de algumas de vocês possuírem histórias interessantes, mas em geral é isso. Não queremos saber quem é a fofoqueira, o gay ou o protegido na empresa em que você trabalha, muitas vocês mal nos importamos se vocês trabalham ou se ficam em casa o dia inteiro jogando paciência spider.

Infelizmente homens são essas criaturas superficiais que não se importam com muita coisa além de qual a manhã para levar essa presa para o abate. Talvez, se o sexo for bom, a possibilidade de descobrir mais coisas sobre vocês se torne interessante – somente para ter algo para se discutir no intervalo entre as transas, que podem ser grandes, dependendo da profundidade da relação o do quão doce pode ser sua película anal. Outras coisas podem ser levadas em conta para postergar a validade da relação, como idas ao cinema, restaurantes e bares – este ultimo sendo também uma estratégia para aumentar a frequência da relação sexuais e relaxa músculos outrora bem contraídos.

Vale lembrar que isso não é uma verdade absoluta e possui diversas excessões. Nem sempre o homem se aproximará da mulher simplesmente para pegá-la, e nem sempre as histórias dela serão chatas. Existem variações. E existe o amor.

Eu não sou muito chegado no conceito geral de amor, acho muito romantizado.

Falando em amor, um amigo meu que eu considera ser love proof recentemente se apaixonou e começou a namorar, o que é bem estranho e engraçado. Ele sempre foi minha referência do que é ser solteiro, era do bar para o puteiro, para o trabalho, para a faculdade e de volta pro bar – com alguns intervalos para jogar Magic no meio. Quando eu o vi com uma garota, fixa, apresentando-a como sua namorada o choque foi tão grande que eu demorei alguns minutos para cumprimentar a garota de volta. Ela pareceu meio confusa, mas ela provavelmente não conhece essa outra face dele, como eu conheço.

Uma certa vez ele me pediu ajuda para ajudar a redecorar a casa, para a namorada não se sentir muito desconfortável quando estivesse lá. E eu sou estúpido, eu não sei do que uma mulher gosta, se dependesse de mim eu colocaria vários quadros com imagens de pintos de parede: “E ai, gostou do Kid Bengala?”. O mais engraçado foi encontrar uma foto dele, na mesa de cabeceira, abraçado com uma prostituta.

Eu fico imaginando, nessa relação tão inusitada, os dois na cama, depois de transar – provavelmente após saírem de um bar, onde ele tornaria as coisas mais fáceis – e ele olhando para o teto vidrado repetindo para si mesmo “não dê dinheiro pra ela, não dê dinheiro pra ela, não dê dinheiro pra ela…”

O que é uma variação interessante e um pouco menos perturbadora de um mantra que um outro colega, um pouco mais depravado e com um pouco menos de amor próprio, costumava usar “ignore o pomo de Adão, ignore o pomo de Adão, ignore o pomo de Adão…”

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Macho Beta

Uma resposta para “Eu não saio com prostitutas chatas

  1. Uanda

    Simplesmente … @?&#%

Comentar

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s