Arquivo do mês: janeiro 2010

Eu não confio em Sony a go go

Hoje eu cometi um erro simples… Resolvi sair da minha vida de Nintendista convicto para entrar nas terras desconhecidas e arriscadas da Sony – e comecei com os dois pés na porta. Comprei um PSP Go, o mais novo handheld da Sony.

A primeira vista o PSP Go pode ser tudo o que um bom nerd jogador de video games pode querer, um aparelho pequeno, até bonito e com uma aparência ligeiramente futurista. Ledo engano…

Ao toque o aparelho nos passa a sensação de ser algo extremamente sensível e de difícil manuseio, os botões parecem estar se desfazendo nos dedos e, para piorar, o slide emperra com certa facilidade. As poucas melhorias – se é que podemos chama-las assim – acabam por se mostrar nada melhores em comparação com as versões anteriores:

O hardware continua praticamente o mesmo, com um leve aumento de memória RAM , e a tela ainda diminuiu. A capacidade de armazenamento em nada salva, pois ela descartou as UMD’s, que já não eram nenhuma maravilha, e a comunicação wireless continua a mesma, com o já ultrapassado padrão 802.11b.

A Sony ainda acabou atirando no próprio pé tentando vender o aparelho lá fora por US$250 dólares, quando o PSP 3000 ainda está na faixa dos US$200, e qualquer pessoa com um pouco mais de bom senso iria preferir comprar o mais barato, se tiver a oportunidade de testar e conhecer ambos.

Completando a façanha com chave de ouro, no final a Sony acabou disponibilizando apenas 250 títulos do portátil na loja online, único meio de se adquirir jogos para a nova versão, sendo que poucos estão na lista dos mais vendidos ou melhores jogos, deixando os poucos (e desavisados) jogadores que se aventuraram a comprar um PSP Go sem muita escolha de jogos e presos, de uma maneira quase ultrajante, a boa vontade da empresa.

No final das contas acabei repassando meu PSP Go para uma mente pouco menos favorecida e tendo um prejuízo de quase US$ 50, simplesmente para voltar de mente e coração aberto para o meu bom e velho Nintendo DS, que também não está se saindo muito bem no meu ver.

Para aqueles que estão desesperados para comprar um PSP, por favor, fiquem com o bom e velho 3000 ou, se for menos favorecido ou mais esperto, compre um 2000, as diferenças são pequenas (menores ainda se você pretende apenas jogar) e divirta-se, aguardando a Sony voltar ao seu velho eu e trabalhar com vontade.

Caio.

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Eu não uso internet discada

O dia em que decidi que 3G é o futuro

Um dia desses comprei um notebook pra diversão… Já tinha um que eu usava a trabalho e que logicamente, era usado somente em casa ou no escritório, mas precisava de um pra ver besteiras na internet, bater papo e usar na faculdade. Eis que me surgiu um problema: na maioria dos lugares onde eu queria usar esse notebook eu não teria um sinal wireless ou Wi-Fi de internet, logo não poderia fazer ne um terço das coisa que eu estava planejando fazer.
Daí me ocorreu uma idéia, uma idéia antiga, aliás, que eu tentava enfiar na cabeça dos outros, um tempo atrás: 3G é o futuro. Nunca havia pensando em usar o sinal 3G das operadoras desse jeito, estava acostumado (leia acomodado) com o que eu tinha em casa.
Logo veio a cacada por um bom aparelho, com todas as frescuras com que estou acostumados, como gerenciador de arquivos, podcasting, uma câmera razoável e que, de preferência, fsse Nokia. A maioria dos Nokias são excelentes aparelhos, mas costumam ser grandes, o que não me agrada mais, além disso, uma breve experiência com um LG cookie, me introduziu ao mundo touch screen e eu cheguei a conclusão de que teclas “no more!!!”. Logo as minhas opções ficaram bem reduzidas.
Após um pouco de pesquisa eu fiquei entre o 5530, 5580 e o famigerado N97. Logo o 5530 foi descartado, não era capaz de receber sinal 3G e o N97 estava anos luz aquém da minha capacidade de compra, e eu fiquei com o 5800.
Bom,,agora eu sou um usuário 3G e não sei porque escrevi esse maldito post, talvez somente para inaugurar minha nova internet!!! xD

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized